Buscadores alternativos ao Google: Conheça 5 opções para usar!

Buscadores alternativos ao Google para utilizar

Você sabe quais são os buscadores alternativos ao Google?

Obviamente o gigante da internet é o mais popular entre os usuários, porém o Google coleta dados seus enquanto você navega, o que para muitos é um problema grave de privacidade.

Outro ponto negativo é o fato dele não estar disponível de maneira global. Na China, por exemplo, um mercado extremamente importante, o mesmo não opera desde 2010 devido ao não cumprimento das leis locais.

Por fim, temos também aqueles que simplesmente não gostam de usar os serviços do Google, preferindo soluções de outras marcas ou de entidades sem fins lucrativos.

É aqui então que entra os buscadores alternativos da internet, são opções válidas para quem quer pesquisar algo online, e muitos tem características bem interessantes frentes ao Google. Confira:

1. Bing

Bing (Microsoft)

Talvez o maior rival do Google, o Bing é a solução da Microsoft para pesquisas na web, e atualmente figura como o 2º buscador mais usado na internet.

O mesmo tem uma participação de mercado de aproximadamente 6%, que se deve fortemente a implementação padrão do mesmo em diversos serviços da dona do Windows, como na Cortana ou nos navegadores Edge e Explorer.

Ao acessa-lo você se depara com o maior diferencial do buscador, sua tela inicial fica rotacionando imagens no plano de fundo, entre elas paisagens; obras de artes; animais; objetos; entre outros.

É possível pesquisar sites, imagens, vídeos, localizações no mapa e noticias no Bing. Boa parte dos filtros essenciais também está disponível para refinar os resultados.

Em termos visuais, é possível notar que o Bing adota um tamanho de fonte maior como padrão, que somado aos anúncios laterais, pode deixar a página visualmente poluída. Fora este detalhe, o mesmo segue o estilo clean de design.

Curiosidade: O Yahoo também utiliza os resultados de busca do Bing e sua rede de anúncios, abandonando seu motor de pesquisas próprio desde 2009 quando firmou um acordo com a Microsoft.

2. DuckDuckGo

DuckDuckGo

Se você é do mundo Linux, talvez esteja mais familiarizado com o DuckDuckGo, já que o buscador vem como padrão em diversos navegadores de código-aberto.

Caso não seja deste meio, provavelmente nunca ouviu falar deste buscador antes. Isso porque a proposta do DuckDuckGo está focada na privacidade, já que que o navegador não coleta dados sobre você, sendo 100% anônimo.

O mesmo vem ganhando cada vez mais popularidade devido aos frequentes vazamentos de dados pessoais nos últimos anos, somado a espionagem que diversos governos fazem em cima de seus cidadãos, e também por aqueles que não querem gerar rastros na web.

Atualmente sua presença é de aproximadamente 1% no mercado global, o que pode parecer pouco, porém garante uma média de 30 milhões de pesquisas mensalmente no buscador.

Mesmo sem coleta de dados, o buscador não é 100% prejudicado, e oferece os principais recursos que você encontra nos rivais, com o porém de resultados locais não serem tão precisos.

Curiosamente, há presença também de publicidade no buscador (um dos motivos que o Google alega para coletar seus dados), que muitas vezes é servida pelo rival Bing da Microsoft. Fora este recurso, o DuckDuckGo também aceita doações para se manter online.

Para fechar, a parte de design padrão do buscador é bem similar ao tradicional, mas existe a opção de você usar outros temas, podendo personalizar as páginas com outros padrões de cores, incluindo uma versão de modo noturno.

3. Baidu

Baidu

Devido a censura que o governo chinês impõe sobre a internet do país, serviços conhecidos do ocidente como Google, Facebook, WhatsApp, entre outros não operam por lá.

A maneira encontrada para resolver este problema foi a criação de serviços locais, como é o caso do Baidu, uma empresa de tecnologia que é praticamente um Google da China.

Por lá, ele domina aproximadamente 71% de todas as buscas feitas no país. Mas em escala global, sua participação não passa de 0,90%.

O Baidu não tem tradução para outros idiomas, e boa parte dos resultados são oriundos de fontes locais, então seu uso fica limitado a quem domina o idioma e quer saber mais só desta parte do mundo.

Dentre os recursos oferecidos, temos pesquisa por sites, imagens, vídeos, músicas, noticias, mapas, e livros. Mas assim como o gigante americano, o Baidu tem diversos outros serviços, ferramentas e apps que levam seu nome.

Na parte de design não há nada fora da curva, pois o layout e padrões de cores são extremamente parecidos com o do Google. Talvez a diferença mais notável fique para o espaço maior de publicidade nos resultados.

4. Yandex

Yandex

No começo da internet havia diversos buscadores nascendo pelo mundo, ficando primeiro populares em seus países de origem para depois conquistarem novos territórios.

Obviamente boa parte destes projetos fracassou ou foram incorporados aos gigantes que conhecemos, como foi o caso do Cadê?, primeiro site de buscas 100% nacional que hoje é do Yahoo.

Entretanto, houve exceções, e uma delas é o Yandex, um buscador russo que faz mais sucesso que o Google. São quase 54% de participação, contra 42% do Google, que por lá é visto como 2ª opção para muitos.

Mas diferente do Baidu, o sucesso do Yandex na Russia e em alguns outros países no entorno não é por causa de censura ou regulações locais, mas graças a sua popularidade.

Tendo sido lançado em 1997, 1 ano antes do Google, e já ter sido adaptado para os caracteres dos alfabetos cirílicos, fez com que o Yandex tivesse uma vantagem, tornando-se uma referência local até os diais atuais.

Em termos técnicos, o Yandex não apresenta nada muito diferente dos demais buscadores, há busca por sites, imagens, vídeos, notícias e localizações no mapa. Os filtros de conteúdo também estão lá para refinar os resultados.

Apesar de seus maiores mercados serem Rússia, Ucrânia, Belarus, Cazaquistão, Uzbequistão, e Turquia, o Yandex opera de maneira global, tendo seu site traduzido para o Inglês e exibindo resultados oriundos de outros países.

No visual, o Yandex adota um estilo moderno e limpo em suas páginas, com o destaque para o amarelo usado como cor principal, algo que foge do padrão azul/preto dos principais buscadores.

Assim como outros buscadores, também há publicidade nos resultados, mas curiosamente ela é menos intrusiva, sendo somente disponibilizada no final das páginas.

5. Ecosia

Ecosia

Se você quer dar sua contribuição para ajudar o planeta, talvez utilizar o buscador Ecosia possa ser uma ótima opção.

Diferente dos demais, este é um projeto sem fins lucrativos, e tem como objetivo principal fortalecer o reflorestamento ao redor do mundo.

O mesmo consegue fazer isso com sua parte nos ganhos da publicidade exibida nos resultados de busca, que reverte na média 1 arvore para cada 45 pesquisas realizadas pelo Ecosia.

Toda a operação do site é 100% transparente, revelando os ganhos e gastos do projeto, além das iniciativas escolhidas para cumprir com a missão de reflorestamento nos mais diversos países.

O Ecosia, assim como o Yahoo, utiliza a tecnologia de pesquisa do Bing da Microsoft, mas aprimora os resultados de busca com seus próprios algoritimos.

O design do site segue o tradicional estilo adotado em outros buscadores web, somente sua página inicial que difere um pouco, exibindo mais informações sobre a sua “busca ecológica”.

É possível adotar o Ecosia como buscador padrão em diversos navegadores de internet, além de poder usar uma extensão no Google Chrome ou instalar os apps para dispositivos Android e iOS.

Conclusão: Existe uma alternativa ao Google?

Google

Olha, sendo bem franco com você agora: NÃO. A verdade é que o Google é tão popular por causa de algo simples: Ele acha o que você quer encontrar em 99,9% das vezes.

E isso se deve ao fato dos algoritmos deles serem mais aperfeiçoados, principalmente por causa da coleta de dados seus, sabendo assim seus gostos e localização, por exemplo, com isso os resultados tendem a serem mais assertivos do que nos rivais.

Os buscadores alternativos pecam justamente neste ponto. O DuckDuckGo protege sua privacidade, mas isso sacrifica os resultados locais nas buscas. O Baidu é limitado a China e censura do governo. Yandex é até uma opção, porém seu foco é a Russia.

Aquele que se sai melhor entre todos os buscadores alternativos é o Bing, que já ocupa o posto de segundo colocado no rank global de pesquisas, e tem um funcionamento mais similar ao Google, com resultados bem mais próximos do rival. (Com isso em mente, troca-lo pelo Ecosia tem o bônus ambiental.)

Em resumo, o Google monopolizou com sucesso este setor da internet, e será difícil que outro concorrente consiga desbanca-lo no médio ou longo prazo. Então, usa-lo é a única alternativa viável para a maioria, mas se por acaso isso não for ideal para você, pelo menos agora você conhece alternativas interessantes.


Então, já conhecia todos estes buscadores alternativos ao Google? Vai usar algum deles agora em diante? Comente abaixo e compartilhe algum outro que não colocamos na lista!

Deixe uma resposta